quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Porto Seguro lança seguro online para veículos

Agora, o cliente interessado em consultar seus seguros, poderá (online) simular e até contratar seus seguros de veículos, através de programa especialmente desenvolvido por profissionais de TI da Porto Seguro.

E isso, contando com a participação importante do corretor de seguros que tem a obrigação de esclarecer dúvidas e acompanhar as necessidades do cliente.
Conheça o sistema..... http://www.battochioseguros.com.br simule os seus seguros e, dê sua opinião a respeito.



Ocimar Antonio Battochio
Consultor de seguros devidamente registrado na SUSEP – Superintendência de Seguros Privados

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Ronaldo “FENÔMENO"

Nunca tantos deveram tanto a tão poucos.( never was so much owed by so many to so few )

Palavras do Primeiro Ministro britânico Winston Churchil exaltando o ato heróico dos pilotos da RAF (Real Air Force) que, com seus poucos aviões, (Spitfires e Hurricanes)digladiaram com os Messerchmidt ME-109 da Luftwaffe (Fôrça Aérea Alemã
)
Eu, particularmente, diria que, “Nunca tantos deveram tanto a um” e, agora, diria também que “As necessidades de muitos sobrepujam as necessidades de poucos....ou de um” .....Ou contrário a isso na visão do leitor.

“PARABENS RONALDO”.....Sucesso e Luz em seu novo caminho....Que o nosso bom Deus continue no seu caminho.

Palavras de um Corinthiano que, acima de tudo ama o futebol Brasileiro


Ocimar Antonio Battochio

domingo, 23 de janeiro de 2011

Empresa de resseguro não deve indenizar segurado

As resseguradoras, como são conhecidas as empresas que fazem o seguro das seguradoras, não podem ser condenadas a pagar diretamente indenização ao segurado. O entendimento é da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, que suspendeu penhora de bens do Instituto de Resseguros do Brasil.
O caso começou quando a mãe de um rapaz morto em acidente de trânsito ajuizou uma ação de indenização por danos morais e materiais. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul determinou, então, a penhora, já que o responsável pela fatalidade era proprietário de um ônibus que fazia transporte rural remunerado de passageiros. Ele requereu a participação no processo da Sulina Seguradora. Essa última, por sua vez, repassou a responsabilidade, solicitando a participação da IRB Resseguros.
Já na fase de execução, os recursos de ambas empresas foram penhorados, totalizando R$ 250 mil. A IRB não se conformou e recorreu, conseguindo suspender o bloqueio. No entanto, atendendo a um recurso interno, o próprio TJ-RS decidiu por retomar a penhora. Para o tribunal, havia responsabilidade direta e solidária entre as empresas de seguro pelos valores fixados na apólice.
A ministra Nancy Andrighi, relatora do caso, conta que não é bem assim. Segundo ela, o artigo 14 da Lei Complementar 126/07 estebelece justamente o contrário: "os resseguradores e os seus retrocessionários não responderão diretamente perante o segurado, participante, beneficiário ou assistido pelo montante assumido em resseguro e em retrocessão, ficando as cedentes que emitiram o contrato integralmente responsáveis por indenizá-los".
Ela explicou ainda que, embora o objetivo do resseguro seja diluir os riscos assumidos pela seguradora, a única responsável pelo pagamento da indenização continua sendo ela, conforme as duas empresas contrataram. Com informações da Assessoria de Comunicação do STJ.

Fonte:- CONJUR - Consultor Jurídico